Finalmente reveladas as verdadeiras intenções da empresa, forçar uma judicialização.

Posted: August 26, 2015 in Uncategorized

Somente na terceira reunião de negociação, quatro meses de passada a data base, que a empresa finalmente apresenta uma proposta e quando o faz, apresenta uma rebaixada, quiçá ofensiva e se diz surpresa que os trabalhadores tenham esgotado a paciência e partirão para greve?

Exatamente pelo mesmo teatro de sempre, não é nenhuma novidade agendar previamente uma paralisação antes de uma rodada de negociação, no intuito de pressionar (pois é uma moeda de troca do trabalhador) e já prevendo ser abandonado pela empresa novamente. Como de praxe, se a empresa apresentasse uma proposta respeitosa e que desse o real valor ao trabalhador, essa paralisação seria suspensa, nenhuma novidade até aí.

Então será que a novidade é que a empresa, tão certa da benevolência da justiça em seu favor, prefere procurar desculpas para evitar a negociação e se retira da mesa ao invés de demonstrar respeito por aqueles que são sua força? Ou será intenção dos responsáveis que a empresa venha a definhar para possibilitar sua privatização? É… as reais intenções são desconhecidas e podem tender ao mórbido. 

image

Comments
  1. D.F. says:

    Corrupção ferrou com a Petrobrás e com a Eletrobrás. A politicagem inserida nas estatais, medidas provisórias com cunho politiqueiro que quebram o sistema, os escândalos sendo escancarados pelas investigações, os contratos e seus aditivos, o afastamento surpresa (só que não) de conselheiros, a opressão aos trabalhadores enquanto a promiscuidade despudorada é livre da gerência pra cima… Alguém espera algum resultado positivo pra gente?

    Enfraquecimento e insustentabilidade se “resolvem” com privatização, é claro. Com a privatização, tem gente que ganha muito com isso (não nós que perderemos para eles ganharem).

    É cada vez mais notável o que querem fazer com a Eletrobrás, e enquanto isso não chega quem tá ganhando tá fazendo o possível e o impossível pra aumentar seus ganhos o máximo que der, pois claro, depois que chegar o que se prevê, nem para estes pode-se dizer que estarão seguros. Mas os sanguessugas vão até a seca da fonte.

    “Empresasbrás” à venda

  2. y says:

    Olha que interessante, página 8 da Demonstração de Resultados da ELB no 2 Trimestre de 2015:

    http://www.eletrobras.com/elb/ri/services/DocumentManagement/FileDownload.EZTSvc.asp?DocumentID=%7B55C2F377%2DD2C9%2D4FB1%2DAFE5%2D151C13836EDA%7D&ServiceInstUID=%7B6CE2F642%2D7E90%2D44E5%2D8ED9%2D8129D084E6D3%7D

    Houve uma redução nos gastos com pessoal (Sem a CELG, que foi absorvida como ação política), da ordem de 5% de um ano para outro – de 2.611 bilhões no 1 semestre de 2014 para 2.483 bilhões no 1 semestre de 2015. Se colocar a CELG vai para 2.637 bilhões…

    A empresa economiza 5% com gente, o governo vai lá e decide aumentar a despesa, e entrega mais uma fatura para quem pagar? E depois quer dar só a inflação e olhe lá…

    Em tempo, para a empresa, este aumento proposto vai custar em torno de R$ 430 milhões/ano. Parece muito? Para uma empresa que fatura 40 bilhões/ano?

    E dizem que a empresa está quebrada, etc, etc… E mete a gente no pau para dissídio… Fazendo mais com cada vez menos.

    É cambada de palhaços deste circo kafkiano, é muito triste esta nossa profissão de fazer os outros rirem às nossas custas.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s